Colinas, um cemitério de obras inacabadas…

 

foto 3Foi um equívoco o filho do prefeito de Colinas, quem de fato decide qual empresa vai fazer essa ou aquela obra, ter permitido que a empresa LF Construções ganhasse tantas (quase todas) licitações no município.

Até o mais inocente dos seres de Colinas sabe o que de fato há por trás dessa onipresença da LF em todas as áreas, controlando desde o dinheiro destinado à limpeza pública e transportes até a mais cara das obras.

E a LF não ganha as mais importantes licitações porque oferece o menor preço ou as melhores condições para a execução das obras, como manda a lei. Ganha porque pertence aos amigos pessoais do filho do gestor e porque o lucro de tudo será/é dividido entre eles.

Senão, como explicar que uma empresa que não tem sequer uma sede ou uma enxada pra cavar um buraco possa ser responsável por tantas obras e serviços? E lógico que o resultado não poderia ser diferente do desastre que se ver em Colinas.

Juntando tudo, a LF dos amigos do filho do prefeito já vai abocanhando quase R$ 30 milhões em obras e serviços no município. E até agora o povo não viu as obras e nem tão pouco usufruiu dos serviços. Mas certamente todos os pagamentos já foram devidamente realizados.

Sem experiência alguma no mercado e sem profissional capacitado, a LF transformou a cidade num cemitério de obras inacabadas. E as que foram dadas como concluídas foram mal feitas e com material de baixíssima qualidade.

foto 1Tomemos como exemplo a pavimentação asfáltica de várias ruas da cidade, cuja licitação foi vencida pela LF. Quem mora em Colinas sabe que é um dos serviços mais porcos que já se viu em todo o município.

Nas ruas do bairro Curimatã (fotos), com pavimentação recente, o asfalto colocado pela LF não resistiu a uma chuva. E o que antes era só poeira, agora virou um mar de lama sem fim.

E toda essa desgraça do Curimatã se deu justamente porque essas ruas não receberam a drenagem necessária para o asfalto e, após a colocação, não foram feitas as sarjetas necessárias para escorrimento da água que cai das chuvas e nem meios fios.

E o que era pra ter sido um benefício para a população que há anos esperava pelo tão sonhado asfalto se transformou num pesadelo sem fim.

A culpa é do sofá

 

A mulher traiu o marido no sofá da sala. Indignado, o marido botou a culpa no sofá e o tirou de lá.

O prefeito Antonio Carlos chamou o vereador Abmael Feitosa de idiota, insultou o vereador Osvaldinho Damasceno e mandou que Edilson Magalhães usasse o espaço que tem na TV Difusora Colinas, cujo direito de transmissão pertence ao prefeito, para atacar seus adversários.

Mas os aliados do alcaide não consideram grave esse lamentável episódio. Para eles, o uso político de uma concessão pública de tv para atacar adversários políticos não pode ser considerado grave.

Grave mesmo, segundo esses aliados, foi a gravação que fizeram de maneira clandestina. Canalhice foi o ato de gravar a conversa do prefeito com seu comentarista e divulgá-la, não o conteúdo da gravação. 

Não dar pra mensurar o tamanho dessa calhordice e nem sua gravidade.

De todo modo, seria interessante que a TV Difusora de São Luís e a Anatel fossem informadas desses absurdos que acontecem em Colinas.

Obras da ponte da Trizidela estão a passos de tartaruga…

 

ponte

Como já foi dito aqui, a primeira licitação para construção da ponte de cimento que ligará o centro da cidade de Colinas ao bairro Trizidela foi vencida pela empresa Rio Preto Construções, de origem desconhecida tanto pelo prefeito municipal quanto pelos responsáveis pela CPL do município. E isso ficou comprovado quando descobri que na verdade tratava-se de uma empresa fantasma que estava nas mãos de laranjas e que não tinha sequer uma sala pra chamar de sede.

Aí, com receio de um eventual escândalo caso viesse a público esse fato, os responsáveis pelas obras em Colinas trataram de cancelar o contrato com a Rio Preto Construções, que já tinha até recebido R$ 100 mil adiantados (será se a grana foi devolvida?) e fizeram novo procedimento licitatório.

Para minha surpresa e de muitos colinenses a nova licitação para a construção de uma ponte de R$ 2,5 milhões foi vencida pela novata LF Comércio e Construções, empresa de propriedade de dois amigos íntimos do filho do prefeito, fato que por si só já poderia ser considerado promíscuo e chamado a atenção do omisso Ministério Público de Colinas que, sabe-se lá por quais razões, prefere fechar os olhos para tudo que vem acontecendo na atual gestão.

Mas o mais interessante nisso tudo é que tanto a empresa Rio Preto como a LF Construções exigiram que a responsabilidade da obra ficasse com o engenheiro Ricardo Modesto Filho, irmão do prefeito e com histórico profissional já conhecido por todos os colinenses. E é justamente aqui que mora o perigo. Minha desconfiança e descrença no sucesso da obra vem daí.

Vejamos: passados quase oito meses do início das obras, o que se ver no local são apenas o esqueleto da antiga ponte de madeira que ainda serve de passagem pra alguns pedestres e um gigantesco aterro de barro feito na cabeceira do lado da Trizidela. E dia sim dia não aparece um ou outro operário empurrando um carrinho de mão cheio de terra. Cimento mesmo, por assim dizer, nunca se viu por lá.

Qualquer leigo em obras de engenharia de média complexidade que visitar o local vai perceber que algo de muito errado (e estranho)  está acontecendo, principalmente pelo ritmo lento dos trabalhos, que anda a passos de tartaruga. E quem olhar de perto duvidará se aquilo ali ficará pronto no prazo estipulado pela prefeitura.

E caso algo dê errado ou não saia como o esperado pela população, a culpa será inteiramente de quem deixou um trabalho tão importante como esse ficar a cargo de uma empresa pequena sem qualquer tradição no ramo da construção civil e sob a responsabilidade de Ricardinho.

Em tempo I: assim como outras obras em Colinas, a ponte da Trizidela caminha a passos largos pra se igualar as demais que estão sendo realizadas pela LF Construções. E o que é motivo de orgulho para o governo, que não se cansa de divulgar que o município se transformou num canteiro delas, é na verdade um mundaréu de obras inacabadas ou com conclusão de péssima qualidade, como é o caso da pavimentação asfáltica do bairro Curimatã que não resistiu a uma chuva.

Em tempo II: já se fala a boca miúda nos corredores da Câmara Municipal de Colinas da criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, para investigar algumas dessas obras, bem como os pagamentos que já foram realizados. Alguns vereadores de oposição já se posicionaram contra, mas é bem provável que mudem de idéia com o desenrolar de alguns fatos que podem acontecer até o final do ano.

O perfeito (in)prefeito e a razão da escravidão

 

Jarbas Couto*

jarbas1

A decepção é um dos sentimentos mais constrangedores. Simplesmente, porque é fruto da confiança, do amor e da expectativa não correspondidos. É inegável, há muitos colinenses decepcionados. Já estou achando chato o encontro com conterrâneos. Lá vem a pergunta jocosa: “…e o prefeito?”. A paciência do povo tem limite. Depois de todo esse tempo, vive-se uma ressaca de expectativas. Ressaca de não mandato. Como se a confiança num candidato tido por todos como honrado, competente, voluntarioso, cuja candidatura representou os mais altos interesses públicos do município, fosse massacrada pela atitude comezinha, trivial, descomprometida.

Em que pese minha admiração e amizade pela pessoa que ora ocupa o cargo, não se pode fugir ao enigma colinense de hoje, que consiste no seguinte: como se faz de um promissor candidato um perfeito (in)prefeito? A desculpa de que tratar a viúva como sua é um vício tradicional não serve como resposta. Os grandes homens inventam comportamentos menos viciosos, em vez de usar a tradição para justificar os maus hábitos. A receita caseira que os cozinheiros da viúva conhecem, e vivem a propagá-las por aí, talvez explique melhor a metamorfose. Eis como a descrevem os fiéis cozinheiros:

1) Uma colher de sopa de patrimonialismo despudorado (incapacidade de estabelecer limites entre público e o privado). Assim, distribuem-se cargos e contratos públicos entre parentes transformando-os em fontes de enriquecimento da família.

2) Uma porção de empregos e favores para aqueles que haviam tido sempre uma postura crítica em relação a iguais desmandos praticados por antecessores. Logo, calam-se as vozes críticas da cidade e excluem-se os debates públicos.

3) Uma pitada de repulsa quanto a quaisquer demonstrações e ofertas de contribuição competente. A própria competência passa a ser vista como ameaça à incompetência de parentes e amigos presenteados com o chapéu do povo.

4) Um caminhão de insensibilidade com a situação de um dos municípios mais pobres do país. De forma a se colocar interesses pessoais e familiares acima das nobres tarefas públicas que o cargo encerra.

5) Copos bem cheios de insensatez para conduzir os parcos recursos públicos municipais aos bolsos do luxo, da riqueza e do poder. Enfim, daqueles que, quando não os tem de sobra, tem as melhores chances de cuidar de suas vidas sem precisar se beneficiar de recursos públicos de um dos municípios mais carentes do interior do Maranhão.

A perfeita abdicação do cargo é uma opção de quem o tem. E não seria um problema meu, se não representasse mal pior para meus irmãos de mesma terra. Se não tirasse o pão da boca de meninos colinenses miseráveis e drogados. Se não fabricasse a mão de obra escrava que o município exporta. Se não subtraísse a possibilidade de salários dignos a professores e servidores municipais concursados. Se não eliminasse a chance de estudantes frequentarem boas escolas e universidades no município. Se essa lama toda não poluísse mais ainda o rio, nem mantivesse a desorganização mortífera do trânsito. Um colinense zeloso não pode, simplesmente, cobrir tudo isso com uma camada de desfaçatez a engordar seus prazeres compartilhando fatias do bolo da indiferença.

*Jarbas Couto é Professor da Universidade Federal do Maranhão; Possui Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Maranhão (1993), Especialização em Psicolinguística pelo Departamento de Psicologia da UFMA (1995), Mestrado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP (1998) e Doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP (2005).

Everton Costa e outros colinenses são demitidos por Roseana de sinecuras no governo do Estado

 

A governadora Roseana Sarney demitiu vários funcionários da Secretaria de Saúde em diversos municípios do Maranhão. De Colinas entraram na degola o ex-prefeito Everton Costa e seu genro Rômulo Mendes, que recebiam uma bolada sem dar um prego numa barra de sabão, dentre outros.

Veja abaixo a lista dos degolados por Roseana:

FRANCISCO EVERTON MACEDO COSTA – Gestor de Unidade de Saúde, da Região de Colinas – DGA

RÔMULO TADEU OLIVEIRA MENDES – Coordenador do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças, da Região de Colinas – DAS -1

MARIA GRACY FONSECA E SILVA PEREIRA – Chefe do Setor de Controle Vetorial e Vigilância Epidemiológica, da Região de Colinas – DAS-1

ADRYANA COELHO DE OLIVEIRA – Chefe do Setor de Educação em Saúde, da Região de Colinas – DAS- 1

MÁRCIA LUZIA BANDEIRA GUIMARÃES – Chefe do Setor de Vigilância Epidemiológica e Sistema de Informação, da Região de Colinas – DAS-1

EMANUEL FERNANDO ALVES DA SILVA – Assessor Técnico, da Região de Colinas – DAS-3.

Churrascaria Terraço inaugura nova sede em Colinas

 

foto 2

Com 30 anos de uma história construída à base de muito trabalho e dedicação de seus proprietários, a Churrascaria Terraço inaugurou sua nova sede na Avenida Coronel Trajano Brandão, no centro de Colinas.

Com as novas instalações da Terraço, a qualidade do atendimento, reconhecida por todos os clientes e que já vem desde a antiga sede, vai ser mantida, porém com mais conforto e num ambiente totalmente climatizado, conforme frisou seu proprietátio João Elias.

A Churrascaria Terraço, cuja especialidade é o churrasco de carne bovina e suína, com destaque pra costelinha, é conhecida também pela deliciosa galinha caipira e peixada servidas aos seus clientes e pela variedade de saladas e outras comidas típicas da região.

Diversas personalidades de Colinas e região e a população em geral compareceram na inauguração da nova Terraço.

Confira abaixo mais alguns registros do fotógrafo Baixinho do mais importante espaço gastronômico de Colinas. Vale a pena conferir.

foto 3

foto 4

foto 5

DESRESPEITO! Em áudio, prefeito chama vereador de idiota e manda apresentador de TV insultar parlamentares de Colinas

 

Definitivamente deu a louca no prefeito Antonio Carlos e o homem agora deu pra insultar e ofender os vereadores de Colinas. Em áudio que vazou no Whats App  o mandatário, em conversa com o apresentador de TV Edilson Magalhães, traça estratégias de como atacar os vereadores colinenses que lhe fazem oposição na Câmara e chama o vereador Abmael Feitosa (SD) de idiota. O prefeito também manda o apresentador insultar o vereador Osvaldinho Damasceno.

Ainda no áudio, fica claro que a ira do prefeito com os vereadores se deu em razão da não aprovação do projeto em trâmite na Câmara que autorizava a prefeitura a comprar o Hospital Nossa Senhora da Consolação, de propriedade do deputado estadual Arnaldo melo. “Chama um idiota como o Abmael, chama o Osvaldinho e põe eles de frente contigo pra dizer porque são contra a compra do hospital”, diz textualmente o prefeito.

Além da ofensa gratuita aos parlamentares, o prefeito, que detém os direitos de retransmissão da TV Difusora em Colinas, usa uma concessão pública para atacar seus adversários e falta com respeito a dois vereadores do município.

Na sessão de hoje da Câmara o vereador Bima (foto) promete partir pro ataque. Amanhã informações aqui sobre tudo.

Ouça abaixo o áudio desrespeitoso

Colinense Cleudson Campos é eleito presidente do CREA-MA

 

Do Blog do Neto Cruz

O jovem engenheiro mecânico colinense, Cleudson Campos (foto), foi eleito ontem (19) Presidente do Conselho Regional e Engenharia e Agronomia do Estado do Maranhão – CREA-MA.

informe ano 3 numero 21_presidente_conversa3

Cleudson despontou, durante toda a campanha, como favorito. Um nome leve, sem macula e com força de vontade para mudar a realidade que se instalou e arrastou ao decorrer dos anos neste importante órgão, Campos agora fará a diferença, valorizando o profissional e enaltecendo um dos pilares de qualquer profissão: A ÉTICA.

Em sua missão, o Crea-MA é o órgão de fiscalização, de controle, de orientação e de aprimoramento do exercício a das atividades profissionais da Engenharia, da Agronomia, da Geologia, da Geografia e da Meteorologia, em seus níveis médio e superior, no território de sua jurisdição. Além disso, é promotora de condição para o exercício, para a fiscalização e para o aprimoramento das atividades profissionais, podendo ser exercida isoladamente ou em conjunto com o Confea, com os demais Creas, com as entidades de classe de profissionais e as instituições de ensino nele registradas ou com órgãos públicos de fiscalização.

PERFIL DO NOVO PRESIDENTE:

Cleudson Campos de Anchieta, natural de Colinas, Estado do Maranhão, Engenheiro Mecânico e com especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, graduado pela UEMA. Trabalhou nas empresas AMBEV, ALUMAR, dentre outras grandes empresas privadas do estado, com distinção.

Foi Conselheiro Federal Titular do CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, como representante do SENG/MA, Sindicato dos Engenheiros do Maranhão, no período de 21/01/13, tendo exercido a Coordenação da Comissão de Articulação do Sistema – CAIS, nos anos de 2011 e 2012.

Membro da frente parlamentar pela engenharia na Câmara dos deputados, autor e relator do projeto que aprovou no plenário do CONFEA o recolhimento do Clube de Engenharia do Maranhão – CEM, da Associação dos Engenheiros Agrônomos do Maranhão – AEMA, e Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, como frente do sistema CONFEA/CREA. Atualmente, atua como profissional liberal e integra os quadros de associados do SENGE/MA e do CEM.

NOTAS CURTAS DE COLINAS

 

Amor pra 100 anos

foto (5)

Recentemente a quase ex-governadora Roseana Sarney esteve em Colinas. E diferentemente das outras vezes, apenas meia dúzia de gatos pingados esteve presente na visita. Com exceção do prefeito Antonio Carlos que fez questão de demonstrar todo o seu amor, carinho e fidelidade pela mandatária, o povo colinense torceu o nariz pra filha de Zé Sarney.

Destaque na mídia

A mídia da família da governadora não deu qualquer destaque à visita da chefe a Colinas, mesmo ela tendo recebido todos os mimos e paparicos por parte do prefeito Antonio Carlos, com um jantar sofisticado, beijinhos na testa, declaração de amor e outras loas. Enquanto isso, a ida da governadora à vizinha Jatobá teve destaque tanto no jornal “O Estado do Maranhão” quanto nos blogs alinhados com o governo estadual. Pense num prefeito desprestigiado!

Expulsão

É quase certa a expulsão do prefeito colinense do PSB. Ouvi tanto do futuro secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Marcelo Tavares, quanto do senador eleito Roberto Rocha, ambos filiados no partido, que a permanência do prefeito na sigla é insustentável. “O prefeito foi um dos mais duros e desleais adversários que tivemos nessa campanha. Não tem como ele continuar no partido”, disse o senador eleito na festa da vitória no dia 5 de outubro.

Caiu 30 pontos

Prevendo a expulsão do PSB , o prefeito colinense já articula um novo partido para desembarcar com o que restou de seu grupo politico (Dió, Eliozilda e Júnior Costa). Segundo alguns aliados, o gestor colinense deve se filiar no no PRB do deputado federal Cleber Verde. Ou seja: vai cair 30 pontos só na troca de partido. Explico: o número do PSB é 40 e o do PRB é 10.

Compra do Hospital I

Deu o que falar nas últimas semanas em Colinas a malfadada compra do Hospital Nossa Senhora da Consolação pelo Governo do Estado para posterior doação ao município de Colinas. Pertencente ao deputado e presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo, o prédio caindo aos pedaços foi avaliado por seu proprietário em R$ 5 milhões de reais, quantia que o governo estadual nem pensou duas vezes e aceitou pagar.

Compra do Hospital II

Contrário à compra, o vereador oposicionista Abmael Feitosa, o Bima (SD), movimentou as redes sociais e mostrou para a população colinense e para os demais colegas que a negociata era imoral, tendo em vista que o prédio não vale sequer 20% do valor estipulado. “Quem mora em Colinas sabe que aquele prédio não vale tudo isso. E já que o governo do Estado quer tanto que Colinas tenha um hospital decente, então porque não pegar esse dinheiro e construir um muito melhor e muito mais moderno? Tá na cara que tem alguma coisa estranha nisso”, disse ele.

Compra do Hospital III

A propósito da compra milionária do hospital: recentemente o governo estadual construiu um de vinte leitos e com instalações modernas por R$ 2,5 milhões na cidade de Nova Iorque, ou seja, pela metade do preço pedido no dele pelo deputado Arnaldo Melo.

Compra do Hospital IV

Os defensores da compra do prédio do Doutor Arnaldo, em sua maioria aliados do prefeito Antonio Carlos, alegam que a grana que seria utilizada no negócio não é do município, mas sim do Estado. Esperto, o vereador Bima tinha sempre a resposta detonadora na ponta da língua: “não existe essa de grana do município ou grana do Estado. O dinheiro é do povo do Maranhão. O que se discute aqui é a imoralidade do negócio e a super valorização de um prédio caindo aos pedaços e que foi classificado de chiqueiro pelo próprio prefeito Antonio Carlos”

Derrota na Câmara I

Para a compra do hospital ser realizada, já que o estado teria que transferir os recursos para as contas da prefeitura e só depois esta efetivar o negócio, a Câmara Municipal de Colinas teria que aprovar o projeto em sessão. Colocado em pauta para votação na Sessão de ontem (17), a matéria foi logo retirada de pauta a mando do prefeito Antonio Carlos quando o placar já estava em 6 x 3 pela não aprovação.

Derrota na Câmara II

Prevendo uma derrota humilhante na Câmara, o prefeito Antonio Carlos ordenou que centenas de funcionários contratados fossem para a galeria da Câmara Municipal para pressionar os vereadores para não votarem contra o projeto de compra do hospital. A cada fala de um parlamentar contrária ao negócio, a vaia era grande por parte dos funcionários. Mas os bravos edis não cederam à pressão palaciana.

Debate acalorado

Em Colinas não se falava noutra coisa nas últimas semanas que não na compra do Hospital do Arnaldo, como é mais conhecido o prédio de propriedade do deputado e que está alugado há vários anos para a prefeitura. Provocador, o vereador Abmael Feitosa até aventou lançar uma campanha intitulada “Doa, Dr. Arnaldo” para que, em vez de vender, o deputado Arnaldo Melo doe o prédio para o povo de Colinas. “Seria uma atitude humana da parte dele. E seria ainda uma forma dele demonstrar que de fato ama o povo de Colinas, como ele diz amar”, disse o vereador.

Bima bom de briga

À frente do movimento contrário à compra milionária do hospital, o vereador Bima foi o grande destaque da semana no cenário politico colinense. Bom de briga, o parlamentar argumentou bem em todos os setores, principalmente nas redes sociais, e conseguiu reverter uma situação que era amplamente favorável ao governo. Bima não recuou nem quando Ricardo Neto, filho do prefeito Antonio Carlos, tentou entrar no debate e mostrar alguma vantagem para o povo na negociata entre o governo do Estado e o deputado Arnaldo Melo. Vou nem botar aqui os termos utilizados pelo vereador contra o filho do prefeito e nem em que lugar Bima mandou Neto tomar. Arre!

Fala fora?

Há mais de ano ano o dublê de empresário Fala Fina e seu sócio Léo do Banco vem abocanhando todas as obras de pequeno, médio e grande porte em Colinas. E nenhuma delas, desde a mais simples, foi entregue, com exceção do asfaltamento de algumas ruas que não resistiram a duas chuvas. No bairro Curimatã, por exemplo, o serviço foi tão porco que na primeira chuva após a pavimentação as ruas foram alagadas e a situação ficou muito pior do que era antes com a poeira. Insatisfeito com o trabalho dos pupilos, o filho do prefeito, quem de fato comanda todas as obras e serviços do município, decidiu afastar Fala Fina de algumas obras e ele mesmo assumir o trabalho. Só de pensar que a ponte da Trizidela tá sendo feita pela empresa de Fala Fina sob a responsabilidade do enrolado engenheiro Ricardinho, irmão do prefeito, dar até um frio na espinhela.

Jatobá: Roseana cumpre agenda de governo com Arnaldo Melo

 

roseana

A governadora Roseana Sarney e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo, ambos do PMDB, vistoriaram, juntos, nesta quinta-feira (13), as obras de construção do Centro de Referência de Assistência Social (CRAs) no município de Jatobá. O governo está investindo R$ 103 milhões na construção de 158 CRAs e 18 Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAs) em 154 municípios maranhenses, mais uma ação para o combate à pobreza extrema no estado. O principal serviço ofertado pelos Cras é a Proteção e Atendimento Integral à Família.

Acompanhados da prefeita do município, Francisca Consuelo Lima da Silva, e de secretários de Estado, eles percorreram ruas do município onde o governo estadual, por meio da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), está realizando obras de pavimentação asfáltica. A vistoria marcou a entrega da primeira fase das obras pela governadora.

“Estamos aqui visitando obras em andamento e inaugurando obras concluídas. O CRAs é uma dessas obras. Devemos concluir ainda este ano 55 CRAs, que serão entregues para prefeituras para que elas possam fazer um bom trabalho nesta área de assistência social”, disse a governadora.

Arnaldo Melo destacou outras obras que o governo está realizando no município, cintando como exemplo a recuperação do Mercado Público, da praça e a reforma do Centro de Ensino Aluísio Azevedo. “A governadora conseguiu licitar e vai concluir a grande maioria dos CRAs que estão sendo construídos nos municípios, o que é de grande importância para a população”, enfatizou o presidente.