Colinas, uma questão de ódio e vingança para Humberto Coutinho

 

Humberto Coutinho: coronel caxiense quer impor suas vontades também em Colinas

Humberto Coutinho: coronel caxiense quer impor suas vontades também em Colinas

Colinas virou uma questão de ódio e vingança para o presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho. Ele quer Valmira candidata não porque ela tenha sido uma boa gestora, coisa que não foi. De igual modo, ele quer derrotar o atual prefeito não porque Antonio Carlos seja um péssimo gestor, desonesto ou uma má pessoa, coisas que ele não é.

Na verdade, como o próprio HC já deixou claro, é uma vingança pessoal por algo que somente ele sabe do que se tratar, já que não se tem notícia de algum mal que o prefeito tenha lhe feito. E para concretizar essa vingança, nada importa para o coronel caxiense, nem mesmo Colinas e sua gente.

Para ele não importa se Colinas está melhor, se o prefeito faz uma boa gestão, que a cidade tenha evoluído em todos os setores, nada disso. Ele, para alcançar seu objetivo, quer devolvê-la a quem já deu sinais claros, em 12 anos, do que são capazes. Para se vingar de Antonio Carlos, o presidente do Poder Legislativo do Maranhão não se importa em punir Colinas entregando-a aos seus algozes.

Mas quem é Humberto Coutinho? O que ele fez mesmo por Colinas? Quantas emendas já destinou? E o que prefeito Antonio Carlos lhe fez de tão grave ao ponto dele querer transformar a cidade em palco de uma vingança e  punir o povo entregando seu destino nas mãos de ZH, um condenado, e sua “tropa” por meio de sua fiel empregada?

Não é possível que o povo de Colinas, as lideranças de Colinas e as instituições de Colinas vão se silenciar diante de um projeto que tem como objeto apenas “uma vingança pessoal” de alguém que nem de Colinas é – e certamente age assim exatamente por isso – e que não tem qualquer sentimento nobre pelo município e seu povo.

Hoje até a oposição reconhece que Colinas, apesar da crise nacional e do trato desamigo do Governo do Estado está melhor. Mas nada disso importa para aqueles que a escolheram como palco de uma guerra de egos, tendo como ego principal o do segundo homem mais poderosos do Estado.

Tentam empurrar a vereadora Régia Barroso e sua família para fazer parte de um projeto de vingança pessoal, fato que chega a transcender o desumano e deságua nos valores e princípios menos nobres, sobretudo daqueles de quem se espera nobreza, como alguns que, do alto de seus cargos, têm o dever de proteger a cidade onde nasceram e seus conterrâneos.

Colinas não merece ser usada como uma vingança pessoal de Humberto Coutinho, um homem que deveria usar o poder que tem para fazer o bem, em causas nobres, sobretudo num momento delicado porque passa, onde sua saúde inspira cuidados especiais. Geralmente as pessoas quando passam por problemas assim procuram se redimir, fazer o bem. Tomar como reflexão a premissa verdadeira de que o bem vem para quem faz o bem, assim como o mal vem para quem faz o mal. A mesma reflexão vale para aqueles que ao mal querem se unir para o fim único de produzir uma vingança, sem se importar com o bem do povo.

Humberto Coutinho pensava que Colinas fosse Caxias e que também aqui ele pudesse agir como um coronel. Lá ele impôs o nome do próprio sobrinho à sua sucessão em 2012, o que se revelou um desastre quatro anos depois. Aqui ele quer impor o nome de uma pessoa comprovadamente incompetente só para satisfazer seu desejo de vingança e agradar seus aliados, não importando o quanto sujo seja o passado desses.

Ele só se esqueceu de combinar tudo com o povo e com as lideranças políticas colinenses que tem brio e vem resistindo bravamente a essa tentativa de tomada da cidade para, por um lado, curar o ego ferido de um coronel e, pelo outro, entregá-la a outro coronel sem estrela alguma no peito.

Fora da Lei: trio elétrico dos Brandão é notificado pela Guarda Municipal por infringir Código de Postura do Município

 

O trio transgressor: fora da lei, o veículo foi notificado e impedido de rodar na cidade

O trio transgressor: fora da lei, o veículo foi notificado e impedido de rodar na cidade

Os Brandao não tomam jeito mesmo. Eles acham que a Colinas de hoje é a Colinas do passado deles onde de tudo se podia, onde todas as transgressões ao ordenamento jurídico eram permitidas.

Hoje cedo um trio elétrico deles saiu pelas ruas da cidade com som nas alturas, fazendo até as casas e prédios tremerem, anunciando as festas da vaquejada bancada pelo grupo.

Esquecem que não é mais permitido som em volume elevado acima dos decibelímetros permitidos pela lei e que é preciso respeitar a cidade, seus moradores e principalmente as unidades de saúde das proximidades.

O controle do som foi uma exigência do Ministério Público Estadual e está previsto no Código de Postura do Município, aprovado pela Câmara Municipal, e que já é obedecido por todos os proprietários de carro de som da cidade desde então.

Além do som em volume além do permitido para o horário, o trio também estava rodando sem o cadastro da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Abordado pelos agentes da Guarda Municipal, o trio foi notificado e seus condutores orientados da infração que cometiam, sendo ainda informado pelos guardas que deveriam comparecer na Secretaria de Meio Ambiente para fazer o cadastro e aferição do som com o decibelímetro e tomarem ciência dos horários e dias permitidos para fazerem publicidade.

Régia mantém pré-candidatura em Colinas

 

A vereadora e mais pré-candidata do que nunca Régia Barroso

A vereadora e mais pré-candidata do que nunca Régia Barroso

Pelo visto nada saiu como o Grupo Brandão havia planejado. Primeiro foi a pesquisa feita sob encomenda que colocou Valmira Miranda (PDT) lá nas alturas e a vereadora Régia Barroso (PC do B) como última da lista na preferência dos colinenses, numa clara tentativa de enfraquecê-la. Depois foi a pressão sobre Humberto Coutinho para que este pressionasse o governador Flávio Dino e Márcio Jerry para que estes obrigassem Régia a compor com eles na condição de vice de Valmira.

Régia resistiu bravamente a todas as investidas e pressões dos Brandão, bateu na mesa e disse não até ao irmão, a quem segue politicamente.

A dureza da vereadora e a determinação em manter-se pré-candidata pegou de surpresa até Márcio Jerry, que esteve em Colinas no último final de semana com o propósito de convencer ela e a família de que uma aliança com o grupo do vice-governador era a única saída e era da vontade do governador. E tanto Régia quanto o restante da família disseram não ao irmão secretário. Restou ao Jerry voltar para São Luís e comunicar a decisão ao governador, ao vice e ao presidente da AL.

Com um grupo político consistente que conta com pelo menos quatro vereadores e com vários candidatos a vereador com chances reais de vitória, e já pontuando acima dos dígitos em levantamentos encomendado pelos Leões pra consumo interno, essa semana Régia botou uma pá de cal definitiva em qualquer possibilidade de aliança com os Brandão e manteve sua pré-candidatura, contrariando até o irmão Márcio Jerry e o governador Flávio Dino. Régia não foi aos Brandão nem por vontade própria, que nunca teve, nem pelo beiço, como eles queriam.

A vereadora contará ainda com o fortíssimo apoio do ex-deputado Zé Eider e do ex-prefeito de Passagem Franca Reinaldo Sousa.

Sem grupo, sem lideranças, sem vereadores, sem pré-candidatos a vereador, sem povo, sem norte, sem rumo e sem Régia, o que que pretendem fazer os Brandão?

E nem adianta afundar o caminho de Caxias atrás de Coutinho que pelo visto nem ele vai impedir esse barco de afundar.

Dr. Bento Lima faz esclarecimento sobre ação movida pelo Município contra Sistema Nova Era

TV dos Brandão não poderá mais mentir

 

FullSizeRender (3)

Acabou a Era das mentiras da TV dos Brandão. A partir de hoje o jornalismo mixuruco da emissora não poderá mais mentir sobre assuntos relacionados à Prefeitura Municipal de Colinas e seu gestor.

Habituada a veicular em sua grade de programação matérias mentirosas/ofensivas/caluniosas só com o intuito de atingir o prefeito Antonio Carlos, a emissora agora terá que ouvir o outro lado antes de colocar no ar qualquer notícia que tenha esse objetivo.

A Ação de Obrigação de Fazer, de autoria do Município de Colinas, foi impetrada em razão das várias matérias mentirosas já veículadas no jornal da TV dos Brandão, bem como na Rádio Guanabara, todas com a clara pretensão de atingir politicamente o gestor e prejudicar, por tabela, o município.

No acordo firmado (clique na figura acima para ampliar) entre as partes, que aconteceu na Audiência de Conciliação realizada na manhã de hoje, 21, no Fórum de Colinas, ficou acertado que a Nova Era terá que contactar o secretário de Assuntos Jurídicos do Município, Bento Lima, até as 13h da data da veiculação da matéria, para este dê a versão do município sobre os fatos a serem veiculados.

O acordo vale também para os programas em tempo real mantidos pela TV nas redes sociais.

PARAIBANO: Ferdinan Júnior desiste de pré-candidatura e decide ficar neutro nas eleições

O advogado e agora ex-pré-candidato a prefeito de Paraibano-MA, Ferdinan Júnior

O advogado e agora ex-pré-candidato a prefeito de Paraibano-MA, Ferdinan Júnior

O advogado Ferdinan Junior (PPS) enviou por e-mail nesta terça-feira (20/07) uma nota oficial ao editor deste blog  para comunicar a desistência de sua pré-candidatura a prefeito de Paraibano.

Ferdinan aponta o ‘desvio de rumo que tomava a oposição’ e ‘em nome da coerência aos princípios defendidos pela agremiação’ para justificar a decisão do partido em permanecer neutro nas eleições municipais em Paraibano.

Veja a nota oficial do PPS em Paraibano/MA

A respeito do posicionamento adotado pelo Partido Popular Socialista, em Paraibano (MA), em relação às coligações políticas para as eleições municipais de 2016, o diretório municipal vem apresentar os devidos esclarecimentos:

1)      O Diretório Municipal do PPS/Paraibano reafirma que mantém a mesma linha de pensamento e ideologia iniciais, qual seja a de contribuir com a política paraibanense de forma ética, transparente e com respeito aos preceitos constitucionais republicanos, e aos cidadãos deste município, destinatários diretos da atuação estatal;

2)      O PPS participou ativamente na construção da intitulada “nova oposição”, composta por aproximadamente 10 (dez) partidos, cuja caminhada efetiva teve inicio ainda em 2015, há 15 (quinze) meses do pleito eleitoral, algo inédito no cenário político local;

3)      No entanto, como e toda e qualquer caminhada desta natureza foram encontrados muitos percalços, o que gerou, dentro do grupo, a sua cisão em uma nova formação, denominada “via alternativa”, na qual aderiu também o pré-candidato Daniel Furtado, dissidente do grupo da situação;

4)      Após inúmeras reuniões com lideranças de bairro e políticas no município, a maioria do grupo “via alternativa” aderiu à pré-campanha do pré-candidato a prefeito pelo PT, Zé Helio, e alguns à pré-campanha da pré-candidata pelo PSC, Rejany Gomes, decisão não seguida pelo PPS, embora este respeite as decisões tomadas pelos demais partidos;

5)      Desse modo, desconfortável com o desvio de rumo que tomava a oposição, após deliberação democrática interna, o PPS esclarece, por esta nota, que não fará coligação com nenhum dos dois grupos em Paraibano, e se manterá neutro nas eleições municipais de 2016, tudo isto em nome da coerência aos princípios defendidos pela agremiação, e

6)      Embora o PPS não tenha decidido pela união/coligação com nenhum grupo, deseja sorte aos candidatos a prefeito e vereador, e espera que o pleito se desenvolva de modo tranquilo, dentro das regras eleitorais vigentes, e em respeito, principalmente, ao povo de Paraibano.

Paraibano/MA, 20 de julho de 2016.

 Ferdinan Vieira Guimarães Júnior

Presidente do PPS/Paraibano-MA

Do Blog Hilton Franco

Lima responde ao blog

 

O presidente da Câmara Municipal de Colinas, vereador Sezóstris Lima

O presidente da Câmara Municipal de Colinas, vereador Sezóstris Lima

O presidente da Câmara Municipal de Colinas, vereador Sezóstris Lima, o Liminha, enviou resposta ao blog sobre uma postagem publicada esta semana sobre seu posicionamento político em Colinas. Veja.

Olhei com atenção a sua matéria e agora queria que você refletisse sobre o que vou explicar. Nas eleições anteriores de prefeito e vereadores registrei a minha candidatura para concorrer pela sexta vez ao cargo de vereador. Como nas cindo eleições anteriores, logrei êxito e fui mais uma vez aprovado nas urnas pelo povo colinense. Fiz parte da coligação em que a Dra. Nina Melo, hoje deputada estadual, encabeçava a chapa majoritária.

No desenrolar da campanha eu, a Dra. Nina, seu vice e os demais candidatos a vereador nos reunimos em minha casa e ficou decidido que iríamos coligar, de fato, com o grupo do então candidato a prefeito Dr. Antonio Carlos, pessoa que tenho respeito e admiração.

Dr. Antonio Carlos, como sabemos, obteve êxito e ainda conseguiu eleger em sua coligação três vereadores, meus colegas e amigos Antonio do Sindicato, Stênio e Régia Barroso. Chegando o mês de Dezembro iniciaram as negociações, tranparentes, para a eleição da mesa da Câmara. No dia da posse, dia em que também se realiza a eleição da Mesa Diretora, encabecei a chapa como candidato a Presidente da Casa, sendo eleito com 12 dos 13 votos, não sendo os 13 devido a ausência do vereador Carlinhos Moreira, colega que com certeza votaria a favor da chapa vencedora.

Além dos 3 votos da coligação de Dr. Antonio Carlos, obtive 6 da coligação encabeçada pela ex-prefeita Valmira Miranda, 1 da coligação de Reinaldo Sousa e os outros 3 foram o meu e dos vereadores Osvaldinho e Bima.

Quanto ao apoio à pré-candidatura da colega de parlamento e amiga Regia Barroso, apesar de conversarmos com frequência, nunca lhe prometi apoio nem a ela e nem a nenhum candidato até o presente momento, posição que posso tomar porque, primeiro, trabalho todos os dias em meu escritorio, e, segundo, faço politica sem depender de prefeitura, mas tão somente dos meus verdadeiros amigos. Esclareço ainda que tenho plena certeza que apoiei Dr. Antonio Carlos tranferindo-lhes votos sem ter qualquer tipo de ajuda dele ou dos cabeças de seu grupo.

Por fim, informo que quanto ao deputado Arnaldo Melo, somos amigos, o que e normal. Na condição de político livre, sem amarras com qualquer grupo político, apoio quem eu quero. O povo de Colinas me conhece, conhece minhas posições, minhas ideias. Tenho um partido, o PRP, que mantenho, inclusive, financeiramente em Colinas e que me me confere a maior liberdade para apoiar qualquer grupo politico.

Abraços do Vereador LIMA, rumo a sétima eleição consecutiva e todas sempre com um percentual maior de votos que a anterior, fato até inédito em Colinas.

ZH, um homem nu


zhO que o ex-prefeito ZH é hoje nem de longe lembra aquele líder político de nariz empinado, arrogante, prepotente e cercado de lideranças políticas que sempre foi no passado. Quem lhe tecia todas as loas do mundo desapareceu. Aqueles que tinham algum juízo procuraram outro rumo. E o que restou foi meia dúzia de gatos pingados que tenta fazer as noites políticas do coronel menos solitárias.

ZH ficou só. Perdeu para o prefeito Antonio Carlos todos os líderes políticos que tinha ao seu redor, ficou nu, pelado politicamente, com a bunda de fora. Tenta, agora, se cobrir com Régia, como se ela fosse uma tanga de índio que pudesse cobrir suas vergonhas e da apagada Valmira. Mas Régia, de visão, princípios e consciência – tendo puxado à mãe, que Colinas conheceu e respeita – não vai se prestar ao papel de tanga de ninguém.

A mansão de ZH da Rua do Cancão, outrora tão movimentada com entra e sai de gente de todo tipo, hoje passa o dia com seus portões escancarados, sem que por lá passe um pé de cristão. Lá até as muriçocas estão passando necessidade, já que não tem um eleitor de quem possa chupar o sangue.

Por sorte, o coronel ainda conta com aliados fieis como Diogo Varão e Zé Garcias que todas as noites lhe visita e passam horas a lhe contar causos dos tempos em que o coronel virava Colinas de ponta cabeça e ordem sua tinha alguma valia.

Sobraram-lhe ainda os vereadores Walterly Munis e Nonato Santos. No primeiro ZH não confia de jeito nenhum porque sabe que pela frente lhe faz juras e mais juras de amor, mas por trás promete namoro ao prefeito Antonio Carlos, a Reinaldo Sousa, a Régia e pra quem mais surgir com alguma força no cenário político colinense. O segundo, Nonato, vive seus últimos dias de glória como vereador, já que não poderá disputar a reeleição, condenado que é por corrupção.

ZH está só, nu. Não fosse o Júnior Cabeção pra lhe fazer companhia…

Genro de ZH é quem manda na Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado

 

Vinícius Castro, Adjunto de Finanças da Sedes e marido da sobrinha do vice-governador

Vinícius Castro, Adjunto de Finanças da Sedes e marido da sobrinha do vice-governador

Engana-se quem pensa que quem manda de fato na SEDES, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, é o titular Neto Evangelista.

Evangelista, que é do mesmo partido do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), pode até fazer uma miguelagem aqui e outra aculá e ter seus dois ou três parentes ocupando algum carguinho.

Mas quem manda mesmo numa das pastas que mais dispõe de recursos no governo Flávio Dino e que controla os mais importantes programas sociais é o genro do ex-prefeito colinense Zé Henrique Brandão, de nome Vinícius César Ribeiro Castro (foto), marido de sua filha Natália Itapary Brandão.

Vinícius ocupa o cargo de Secretário Adjunto de Administração e Finanças da SEDES.

É ele quem decide o que fazer ou não com a grana. É ele quem decide quais fornecedores deve ou não deve pagar e quais ficam pro outro mês ou a perder de vista.

Na verdade a SEDES hoje é toda dominada pelos Brandão.

Além de Vinícius, outras dezenas de Brandão estão penduradas em sinecuras da pasta, que virou por assim dizer uma espécie de feudo da famiglia.

Marcus Brandão, espécie de presidente da holding dos Brandão, um pool de empresas que vende até terreno no céu, montou até escritório em São Luís para melhor conduzir os negócios que faz com empresas que prestam serviços para a Secretaria.

Por isso que a Viga Engenharia, empresa controlada por eles que está em nome de fantasmas, tem hoje dezenas de contratos com o Governo do Estado.

Flávio Dino que não abra o olho não pra ele ver.

Lima de namoro político com os Brandão

 

Lima e Marcus: casamento político à vista?

Lima e Marcus: casamento político à vista?

É intenso o affair entre o presidente da Câmara Municipal de Colinas, o vereador Sezóstris Lima, o Liminha, e os próceres do Grupo Brandão.

Por enquanto Lima e Marcus Brandão, um dos três chefões do grupo, estão só “ficando”.

Semana passada, em visita à residência do parlamentar, em Colinas, o afoito ficha-suja Marcus Brandão, com promessas de casa, comida e roupa lavada, pediu logo foi a mão de Lima em casamento. Lima ficou de pensar.

Mas a decisão de Lima tem que passar primeiro pelo crivo de seu pai, Arnaldo Melo. É ele quem aprova ou não o matrimônio.

No decorrer dessa semana o presidente do legislativo colinense deve se encontrar com o restante da família Brandão para possivelmente tratar dos detalhes finais da enlace.

Na política colinense o vereador Lima sempre foi uma espécie de “noiva” desejada pelos principais grupos políticos que ao longo dos anos se digladiaram pelo poder. Contraiu com ele matrimônio quem lhe deu mais condições de uma eleição tranquila e otras cositas más

No quinto ou sexto mandato de vereador, foi com o marido da vez, o prefeito Antonio Carlos, de quem Lima quer se divorciar por uma coisinha ou outra que não tenha saído conforme, que ele conseguiu galgar o mais alto posto do parlamento tupiniquim.

Lima foi eleito e reeleito presidente da câmara colinense sob as bênçãos de Antonio Carlos. Mas achou pouco o dote. Talvez quisesse mais. Como não teve esse mais, parece ter optado por um divórcio amigável.

A relação que nunca foi lá essas coisas, na verdade mais um casamento de aparências, ficou estremecida quando Lima começou a flertar com Régia Barroso com vistas a uma união no futuro.  De repente até estável.

Como Régia parece não ter lhe oferecido as condições que Marcus, o pretendente da vez hoje oferece, Lima não quis nem botar o anel de noivado no dedo.

Mas pra quem já contraiu matrimônio com Banana, Everton, Zé Henrique, Valmira e Antonio Carlos, estando no quinto ou sexto casamento político, uma possível volta para os braços de um antigo parceiro político não soaria tão estranha assim não.

Ainda mais sendo Lima a noiva que é.